Fábio ironiza comemoração do Atlético-MG após vitória sobre o Cruzeiro: “Só faltou volta olímpica”

Sorrindo, goleiro afirma que apenas quem não caiu tem direito de zoar rebaixamento: “O Atlético, eu não vejo nenhum parâmetro para querer tirar sarro, foi até campeão da Série B em 2006”

Fonte: Por GloboEsporte.com * — de Belo Horizonte.

Quase dois dias depois do apito final, o duelo entre Atlético-MG e Cruzeiro ainda segue rendendo. Nesta segunda-feira, data da reapresentação do elenco celeste após a derrota por 2 a 1 no Mineirão, o clássico seguiu como um dos principais assuntos. E o goleiro Fábio, entrevistado do dia na Toca da Raposa, ironizou o rival em duas oportunidades.

+ Notícias do Cruzeiro

Uma delas aconteceu ao ser questionado sobre o que o clássico pode levar de lição aos jovens, principalmente para que eles queiram vencer os jogos “grandes”. Ao afirmar que o pensamento dos atletas sempre é vencer, ele aproveitou para dizer que a comemoração dos profissionais do Atlético-MG foi exagerada, alegando que parecia conquista de título.

– Se o atleta que vestir a camisa do Cruzeiro não tiver sempre esse pensamento, ele está na equipe errada. E principalmente o clássico, né? Mas dentro da realidade. A gente quer vencer como se fosse uma partida importante, mas não como se fosse uma conquista de título. O Cruzeiro ganha o clássico e não é comemoração de título. A gente sabe da grandeza do Cruzeiro.

“O Atlético ganha, e a gente vê a comemoração que eles fizeram. Entraram em campo… só faltou a volta olímpica. Mas para o cruzeirense é normal vencer um clássico”

Fabio comemorou bastante o gol do empate do Cruzeiro contra o Atlético-MG — Foto:  Douglas Magno/BP Filmes.

Fabio comemorou bastante o gol do empate do Cruzeiro contra o Atlético-MG — Foto: Douglas Magno/BP Filmes.

Fábio ainda fez questão de listar títulos importantes conquistados pelo Cruzeiro para dizer que o torcedor celeste está acostumado a uma comemoração diferente.

– Está na história. Conquistas comemoradas são títulos importantes. Bicampeonato da Copa Libertadores, hexa da Copa do Brasil, quatro vezes campeão do Brasileiro, e por aí vai. Isso que o torcedor do Cruzeiro comemora. A gente respeita que o Atlético veja a grandeza do Cruzeiro. A gente fica triste quando não consegue o objetivo, mas quando a gente consegue, é uma vitória no clássico e segue a temporada.

E as provocações sobre a Série B?

O clássico de sábado foi o primeiro desde o rebaixamento do Cruzeiro à Série B, no ano passado. Até por isso, foi recheado de provocações dos atleticanos, nas arquibancadas (antes, durante e depois do jogo) e no gramado (após o apito final). Questionado sobre o assunto, Fábio disse que apenas flamenguistas, são-paulinos e santistas têm o direito de tirar sarro do assunto, já que seus clubes ainda não foram rebaixados. Ele fez questão de citar, sorrindo, que o Atlético-MG foi campeão da Série B em 2006.

– Acho que o torcedor é normal, mas também dentro da realidade de disputa dos dois clubes. A gente tem que ser realista e verdadeiro. Hoje em dia, quem pode falar de rebaixamento é Flamengo, Santos e São Paulo. Esses torcedores têm o direito, como o Cruzeiro tinha até o ano passado. O Cruzeiro sempre falou de Série B porque nunca tinha caído, em termos de tirar sarro de um torcedor ou de um clube.

“Agora, o Atlético, eu não vejo nenhum parâmetro para querer tirar sarro, foi até campeão da Série B em 2006. Acho que não condiz muito com a realidade do clube (risos)”

Jogo foi muito pegado e com provocações da torcida  — Foto: Estádio Mineirão

Jogo foi muito pegado e com provocações da torcida — Foto: Estádio Mineirão

Fábio ainda completou, afirmando que a história do Cruzeiro é muito mais rica que a do rival, principalmente em termos de conquistas.

– Acho que se for falar de grandeza não dá, né? Títulos, números… o Cruzeiro está muito além do Atlético. Se a gente for falar francamente o que é a história e sobre quem pode tirar sarro, seria o torcedor do Cruzeiro.

Digiqole ad

Samuel Moreira da Silva

http://www.kadaesportes.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *