Análise: Cruzeiro é castigado por pobreza no ataque e depende de façanha para não repetir a Série B.

Com empate sofrido no final para o Avaí, Cruzeiro se vê cada vez mais próximo de repetir de ano na Série B e passar centenário em competição desconhecida até ano passado

FONTE: Por Gabriel Duarte — de Belo Horizonte.

O jogo do Cruzeiro, outra vez, foi marcado pela pobreza da criação do time. Já vinha sendo assim em partidas anteriores, mas com a diferença de que o time vinha tendo êxito nos confrontos. Diante do Avaí, encontrou o gol nos minutos finais da primeira etapa, mas depois abdicou do ataque na segunda etapa, ficando na defesa. Chamariz para o adversário, que tentou, tentou, e marcou aos 48 do segundo tempo. Vai ser difícil impedir outra tragédia na história do clube: repetir a Série B no ano do centenário.

+ Notícias do Cruzeiro

Com 40 pontos e na nona colocação, podendo ser ultrapassado pela Ponte Preta neste sábado, o Cruzeiro tem mais 24 pontos a disputar. Segundo cálculos do departamento de matemática da UFMG, para superar os 90% de chances de subir, é preciso fazer 21 pontos, ou seja, sete vitórias em oito jogos. Improvável, não impossível, logicamente.

Por esse panorama, vê-se que o Cruzeiro precisará de uma façanha nas próximas oito rodadas para não se ver num novo pesadelo. Nunca nenhum time que disputou a Série B conseguiu sair da posição atual do Cruzeiro e chegar ao G-4 no final do torneio. Novamente: (muito) improvável para o Cruzeiro, mas não impossível.

FONTE: LIGADOS NO FUTEBOL.

Digiqole ad

Samuel Moreira da Silva

http://www.kadaesportes.com.br

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *